user_mobilelogo

small spapsmall bttsmall canyoningsmall escaladasmall espeleosmall montanhismosmall snowboard skismall trekking

Plataforma colaborativa de recolha de dados ambientais

 

 

tornar membro arcm

13412998 1215122055164491 49778194302214768 nData atividade: 09, 10, 11, 12 Junho 2016

Cavidade: Sistema del Gándara, Cueva de Piscarciano

Localização: Soba – Cantábria – Espanha

Objectivo: Esta atividade surge no seguimento de saídas anteriores a cavidades fora de Portugal e com características diferentes das cavidades portuguesas. O Projeto + Além partiu originalmente de três associados do ARCM (António Afonso, José Silva, Nuno Rodrigues) e pretende proporcionar aos espeleólogos do clube novas experiências aumentando também o grau de exigência e dificuldade.

Esta foi a segunda saída inserida neste Projeto e certamente mais serão realizadas criando sempre novos desafios aos espeleólogos ativos do clube.

Equipa: 10 elementos - António Afonso (N3), Beatriz Silva (N3), Carlos Mendes (N2), Eduardo Santos (N2), Felisberto Vieira (N2), Luís Sousa (N2), Nelson Ribeiro (N2), Nuno Rodrigues (N2), Vítor Gandra (N3), Vítor Rebelo (N2).

Todos os espeleólogos que participaram nesta atividade são federados na FPE - Federação Portuguesa de Espeleologia com a respectiva formação espeleológica e seguro em vigor.

Atividade: Segue um breve resumo dos dias referentes à atividade.

 

Dia 09– Chegados ao ponto de encontro em Santelices ao final da tarde onde os dois carros que partiram de Valongo encontraram-se com o outro carro que partiu de Torres Vedras/Caldas da Rainha. Depois de nos instalarmos no abrigo do Grupo de Espeleológico de Merindades, jantamos e tratamos dos últimos pormenores da atividade, preparação do equipamento coletivo e individual.

 

Dia 10– Alvorada foi às 7h30. Tomamos o pequeno-almoço e tratamos dos últimos acondicionamentos nos kit bag’s. Partimos em direção ao Sistema del Gándara a cerca de 40km do abrigo. Esta cavidade foi já visitada no ano de 2015 por vários dos elementos que constituíam a equipa deste ano mas desta vez foi explorada o nível de galerias inferiores com acesso ao um coletor do sistema. Na imagem abaixo, assinalamos a vermelho o percurso efetuado neste ano. Para lerem sobre a morfologia e mais alguns detalhes sobre esta cavidade poderão ver o relatório de 2015 clicando aqui

La Gandara 2016

A entrada da equipa na cavidade foi às 10h15. Depois de entrarmos e ainda muito perto da entrada, no corrimão da Galeríe des Alizés, efetuamos a descida do P49 para acedermos aos níveis inferiores, níveis estes que foram parcialmente equipados e parcialmente acedidos no ano anterior por dois elementos, António Afonso e Julio Portela. Esta descida com cerca de -49mt de profundidade deu acesso ao um enorme complexo de galerias, enorme quer em termos de tamanho quer em termos de complexidade. Aqui acedemos então ao nível freático daquelas galerias. Durante toda a exploração os elementos foram divididos em duas equipas distintas sendo a 2ª equipa “mais lenta” por causa do registo fotográfico.

Ambas as equipas encontraram-se no coletor onde aproveitaram para explorar a zona, tirar algumas fotografias e para descansar um pouco. Iniciamos o regresso à superfície. A chegada à superfície do último elemento foi por volta das 18h00. Depois de tudo arrumado, fomos ao café perto do abrigo para reabastecermos e fomos de seguida para o abrigo preparar o jantar e preparamos a saída do dia seguinte.

 

    

 

Dia 11– A alvorada foi às 8h00. Depois dos preparativos do dia anterior, ficamos a saber que a cavidade a explorar, Cueva de Piscarciano, encontrava-se inundada não sendo por isso possível explorar a mesma. Em alternativa à cavidade, 6 elementos foram visitar a Cueva de Paño e os outros 4 elementos foram verificar as equipagens e material necessário numa das cavidades do próximo ano, Torca de los Morteros.

Para mais informação sobre a Cueva de Paño  podem aceder ao trabalho divulgado pelo Grupo Espeleológico Edelweiss de Burgos em http://www.grupoedelweiss.com/pdf/cubia1d.PDF.

 

Cueva de Paño

Sendo esta cavidade praticamente horizontal (mas de uma riqueza impressionante de espeleotemas), a saída da cavidade foi relativamente cedo, por volta das 17h30. Fomos ao café e depois encontramo-nos com o restante grupo perto do abrigo. Discutimos alguns pormenores sobre a cavidade do próximo ano e depois fomos até ao abrigo, tomamos banho e foi-nos servido um belo jantar preparado pelo nosso amigo do Grupo de Espeleológico de Merindades, o Chuchi e sua esposa. À noite fomos ainda tomar café a um bar local e depois fomos descansar.

Dia 12– A alvorada foi às 9h00. Depois de arrumarmos o abrigo e de acondicionarmos tudo nos carros fomos até Puentedey para apreciarmos a sua ponte natural e as casas típicas assim como tomarmos um café antes de iniciarmos a viagem de regresso. Às 11h00 partimos rumo a Portugal. A chegada a Valongo foi por volta das 17h30 e o carro com destino a Caldas da Rainha/Torres Vedra chegou por volta das 19h00.

 

      

 

  Equipamento técnico: Todos os espeleólogos foram devidamente equipados com o equipamento individual. Em termos de equipamento coletivo foram levados cabos (70mt + 30mt) de 9.5mm, berbequim, pernos M8, palquetes M8, mosquetões, martelo, chaves 13. Foi completada a equipagem do P49 iniciada no ano anterior no corrimão da Galeríe des Alizés.

 

Conclusão: A atividade foi a segunda realizada no âmbito do Projeto + Além do ARCM. Estava muito bem organizada e preparada resultando no óbvio sucesso da mesma. No final da atividade, Todos demonstraram estavam contentes com a atividade e que será garantidamente para repetir.

 

Reportar: Ausente/Presente: Ausência de qualquer acidente ou incidente durante a atividade.

 

Registo fotográfico pode ser visto aqui

Relatório realizado por Vítor Gandra