small spapsmall bttsmall canyoningsmall escaladasmall espeleosmall montanhismosmall snowboard skismall trekking

FNariz do Mundo PR5CBC Grupo20170409 - PR5 CBC Trilho do Pisão e do Nariz do Mundo - Relatório

Nº de participantes – 23 + 3 canídeos.

Partida do Porto cerca das 9 horas.

Arnaldo Costa, José Nunes, Dulce Gonçalves, Cinda Rodrigues e Marta Oliveira

José Carlos Gomes, Orquídea Lima, Maria Orosa e Teresa Dantas

Virgílio Neto, António João Pinto, Vanessa Loureiro, Teresa Rodrigues e Elisabete Granja

Beatriz Silva, Augusto Monteiro, Rosa Oliveira e José Costa

Vladimiro Pereira, Noémia Peres, António Pinto e Luís Rui

José Paulo Correia

Início da caminhada pouco depois das 10,30h e nada melhor que a escrita do romântico do costume, o nosso companheiro Luís Rui, para descrever o percurso:

PARTE 1. Hoje partimos para chegar ao inicio do trilho e como demorou muito para aqui chegar, pois viemos de longe, de muito longe, cedo partimos e já o ponteiro marcava a melhor Hora. Tínhamos logo à chegada "grande cangalhada" nas cabeças armadas que nem se espantaram assim tanto. Preparamo-nos a partimos. Vamos ver neste PEQUENO apontamento os momentos da partida até à chegada ao Nariz Do Mundo... deliciem-se a ver a rever ou a recordar... continua

PARTE 2... vamos assistir, lendo a prosa e vendo, o momento da Foto Do Grupo e como veremos não é fácil: Vamos Lá!... agora não é o momento do pequeno reforço?... Tá bem vamos lá ao reforço. E espalhamos-nos por ali a debicar o reforço, que nem reclama pois sabe que se foi à caminhada, o reforço, é para morrer... Depois de muitos gritinhos dos vários reforços individuais, lá voltamos à cena. É Malta! vamos lá o Foto do grupo... Mas: Ainda não descasquei a tangerina... ou: Ainda não encontrei a parte de trás da árvore... depois lá vamos todos a correr para o momento da Posterioridade Global. Põe no automático. conta 1,2,3, correr correr correr e clique. Já está a não custou nada. Partimos e, veremos a seguir o que vimos, vejam uma a uma sff, e chegamos ao paraíso, um local com água cantante de tanto correr em cascata que era música entre as dentadas ferradas nos petiscos do almoço. momentos a não perder, pois são únicos neste paragrafo visual....

PARTE 3 . A última fase da etapa, em que cada um, depois de reforçado com o almoço volante, sentado numa sala ao ar livre e com sonoridades aquáticas e límpidas, que convidava a ficar ali no refresco, deu-nos para subir, na vida da montanha e fizemos o caminho do moleiro e, do burro com os sacos do grão que haviam de ser farinha e desta o pão, mas não falemos de pão agora pois ainda há pouco há poucochinho ele marchou na refeição. Então vamos olhar para a subida e sem concorrer vamos ver o que podia ser visto nesta tarde soalheira e ver, também, quem chega primeiro... veremos que está deliciosamente deitado no verde tapete esses foram os primeiros a chegar mas outros houve, como veremos também, que se sentaram primeiro junto da taça verde no Restaurante Nariz do Mundo, um momento de relaxe e simpatia que se sentiu na frescura do néctar... FIM

Nota: A cada uma das partes corresponde uma reportagem fotográfica partilhada pelo autor e outras reportagens espectaculares se encontram nos sítios habituais.

O Coordenador

Arnaldo Costa

TPV img TPV - Técnicas de Progressão Vertical

 

"... A espeleologia dificilmente pode ser considerada de competitiva. Contudo, através das técnicas convencionais criou-se um conjunto de modalidades de competição desportiva, dirigidas a avaliar a velocidade, a resistência e a técnica dos atletas. ..." botao tpv 

 

(excerto do documento da prova do 1º Campeonato Nacional de TPV 2011 - Valongo)

Siga-nos em            

MEO ARCM 28855
 

 

 

 

Alojamento oferecido por:

logo maquinadigital pq