user_mobilelogo

small spapsmall bttsmall canyoningsmall escaladasmall espeleosmall montanhismosmall snowboard skismall trekking

Plataforma colaborativa de recolha de dados ambientais

 

 

tornar membro arcm

PR5 Fraga do SarilhãoPercurso: PR 5 Águia do Sarilhão

Domingo, 28 de Junho de 2015

Local e hora de encontro: 8h30m – Café PORTO EXTREMO (Grupo Tropical Burguer), mesmo em frente à entrada principal do Hospital de S. João.

Existem lugares de estacionamento suficientes na frente e nas traseiras dos prédios circundantes.

Ponto de partida / chegada:  Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna / Porta do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) em Campo do Gerês. 

Extensão: 9 km. 

Duração: cerca de 3 h. 

Dificuldade: média. 

Apoios: sinalizado segundo as normas internacionais.

Âmbito: Ambiental, paisagístico, cultural e desportivo

Máximo participantes – 25

 

Breve descrição:

Este percurso pedestre percorre um vale aplanado, ocupado pelo ribeiro de Roda, desde o Museu de Vilarinho das Furnas até à margem esquerda da albufeira de Vilarinho das Furnas.

Ao longo do percurso passamos por áreas de mato e pinhal, de vegetação ribeirinha, de medronhal Arbutus unedo e de carvalhal Quercus spp. Avistamos a fraga do Sarilhão, onde a águia-real construía os seus ninhos, e caminhamos um pouco na via romana (Geira), tendo a oportunidade de observar um núcleo de marcos miliários.

Podemos ainda admirar vários elementos da arquitetura tradicional que a povoação de Campo do Gerês ainda preserva, principalmente habitações e espigueiros. Os espigueiros são construções onde se guardam as espigas de milho.

Pontos de interesse

Campo do Gerês - sugere-se a visita à povoação e à Porta do PNPG, que inclui o Museu de Vilarinho da Furna.

Fraga do Sarilhão - aqui a Águia-real Aquila chrysaetos [PDF 168 KB] construia os seus ninhos. Esta é uma espécie com estatuto de proteção de "em perigo" de extinção, sendo pouco abundante na sua área de distribuição. É característica de vales alcantilados e de zonas de fragas, onde, habitualmente, constrói os ninhos.

Silha dos Ursos - uma silha é uma estrutura que protegia os cortiços do apetite por mel do urso-pardo Ursus arctos que vagueou por estas terras até meados do século XVII. As silhas eram construídas com blocos de granito (abundante na região), em parede dupla, com muros ligeiramente inclinados para fora, sendo a fiada superior ligeiramente saída e com altura sempre superior a 2,8 m. No seu interior, dispostos em pequenos socalcos e travados por pedras, eram colocados os cortiços, de forma circular e feitos de cortiça (daí o nome) e cobertos com um telhado de colmo. Algumas das silhas tinham pequenas portas que davam acesso ao interior. As silhas, de forma a favorecer o trabalho e a saúde das abelhas, eram sempre construídas em encostas ensolaradas e abrigadas do vento, voltadas a nascente/sul. Eram construídas perto da água e de vastas extensões de matos formados por plantas melíferas, compostos por urzes Erica spp, carqueja Pterospartum tridentatum subsp. tridentatum, tojo Ulex spp e giestas Cytisus spp.

Milha XXIX Via Romana - Geira romana é o nome dado à via n.º 18 do Itinerarum Antonini, uma estrada militar construída, provavelmente, no último terço do séc. I d. C., ligando Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta (Astorga, em Espanha). Um dos troços melhor conservados situa-se neste Parque Nacional, entre Campo do Gerês e Portela do Homem. Nesse percurso é possível obervar vestígios arqueológicos, tais como os marcos miliários (que assinalavam a milha romana - cujo comprimento é diferente da milha atual - em grande parte epigrafados e que podemos observar neste trilho), ruínas de pontes, mutatios (estações de muda) e mansions (locais de descanso, mas que foram cobertos pelas águas da albufeira de Vilarinho das Furnas).

Regresso ao Porto a meio da tarde.

Sugestões:

Água é fundamental.

Comida – Suficiente para as pausas de restabelecimento de energias e refeição leve para almoço.

Roupa adequada, incluindo boné.

Calçado confortável.

Bastões de caminheiro (não fundamentais, mas recomendam-se...)

Óculos de sol e protetor solar

Máquina Fotográfica.

Impermeável, de prevenção, caso chova.

Manta de sobrevivência, quem tiver.

Boa disposição q.b.

Nota: A atividade não tem seguro. Obrigatória a assinatura de termo de responsabilidade.

Agradeço aos interessados que confirmem a sua presença até Quinta-feira, dia 25 de Junho, indicando se podem ou não levar viatura própria. A decisão das viaturas a utilizar será feita em conformidade com o nº de presentes à partida, por forma a tentarmos minimizar custos, por pessoa, com a viagem.

Inscrições através de envio de mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Contactos dos responsáveis pela secção de Trekking do ARCM (Alto-Relevo Clube de Montanhismo)

Coordenador - Arnaldo Costa - 917755286

Secretário – Tiago Costa – 912488446

Últimos eventos realizados

Siga-nos em

MEO ARCM 28855
 

 

 

 

Alojamento oferecido por:

logo maquinadigital pq